Gastando muito com delivery de comida? Veja 4 dicas para economizar

Se você passou a gastar mais dinheiro comprando delivery de comida durante a pandemia, saiba que não está sozinho.

Anúncios

Segundo informações do Nubank, esse tipo de gasto aumentou em 94% ao longo do período de isolamento social.

Afinal, ficar em casa todos os dias e ainda não poder comer nada de gostoso é muito sofrido, não é?

O problema do delivery de comida é quando ele passa dos limites e acaba ocupando uma grande parte do orçamento mensal, que, posteriormente, fará falta para outra finalidade.

A gente sabe que é difícil resistir à tentação de comprar um lanche ou refeição, mas separamos algumas dicas que vão te ajudar.

Se você deseja diminuir os gastos com delivery de comida, confira as orientações que separamos para você abaixo:

Anúncios

1. Defina um montante mensal para despesas com pedidos de entrega de comida.

Muitas vezes, nosso cartão de crédito já está cadastrado na plataforma de entrega de comida e, com isso, nem nos atentamos realmente para os gastos que são feitos. O Cartão Santander Free é uma opção de cartão internacional que oferece anuidade gratuita quando gastos de pelo menos R$100 mensais são registrados. Além disso, a aprovação de novas contas é rápida e não é necessário possuir uma conta corrente.

Para não cair nessa armadilha, determine uma fatia do seu orçamento para gastar com pedidos de comida. Assim, não haverá surpresas no fim do mês e você também terá a possibilidade de fazer escolhas mais conscientes, levando em conta se vale a pena ou não gastar seu orçamento com aquele lanchinho em específico.

2. Organize as refeições da semana em casa

Muitas vezes, a vontade de pedir comida de fora vem da desorganização e falta de planejamento. Não tirou nada do congelador para preparar? Esqueceu de ir ao mercado? Não pensou em uma janta? Provavelmente todos esses problemas podem ser resolvidos com delivery de comida.

Mas como sabemos, não é saudável para o bolso e nem para o corpo comer fora todos os dias. Para manter as coisas em ordem, inclusive os gastos, estabeleça um planejamento alimentar. Se preferir, você pode até montar um cardápio da semana: nós garantimos, preparar as coisas em casa (mesmo os lanches e guloseimas) sai bem mais em conta do que comprar.

3. Aproveite cupons e demais vantagens dos aplicativos

Agora que você já entendeu que para economizar não é possível ceder a toda vontade de pedir lanche, nós podemos falar sobre algo muito interessante: descontos. Se você já é cliente assíduo dos aplicativos de entrega, deve saber que é comum receber alguns cupons e vantagens.

Sempre que possível, aproveite essa oportunidade para economizar. Mas fique atento! Alguns estabelecimentos dão descontos interessantes, mas cobram fretes altíssimos para recompensar. Aí não vale, certo?

Se você divide casa com mais pessoas, uma alternativa interessante é aproveitar seu cupom para convidar novos usuários para a plataforma de entregas. Assim, você e a outra pessoa ganham benefícios para as próximas compras.

4. Compare preços

Antes de fechar uma compra, compare os preços praticados em diferentes aplicativos e até mesmo diretamente com a loja. Em muitos casos, o mesmo restaurante está disponível em aplicativos diferentes e, conforme as taxas aplicadas em cada um deles, os preços podem variar também.

Além disso, procure pelo restaurante nas redes sociais, como Instagram e Facebook. Muitos dos estabelecimentos preparam promoções exclusivas para seus canais de atendimento próprios. Com isso, você pode conseguir bons descontos.

Agora que você já leu todo o artigo, deve ter ficado claro que para economizar com os pedidos de delivery de comida é preciso ter controle, planejamento e, claro, pesquisa de preço. Seguindo todo os passos mencionados fica muito mais fácil evitar o endividamento.